Agora é sobre mim

 

Até o momento, ser mãe tem me trazido os sentimentos mais diversos.

É uma aventura diária, é uma montanha russa ligada 24h. Toda alegria é extrema, toda preocupação também. É exaustivo, toma a maior parte dos meus pensamentos e sentimentos.

Confesso que, quando iniciei esse blog, o fiz muito timidamente. Afinal, meu filho tinha pouco mais de 1 ano, o que eu podia dizer sobre “ser mãe”? Eu tinha pouco mais de 1 ano como mãe, que experiências eu poderia trocar?

Este espaço é para todos os que quiserem ler, identificando-se ou não com os textos e vivências. Mas é, também, como um livro de memórias, onde derramo muitas lágrimas e de onde brotam muitos sorrisos.

Eu nunca tive sentimentos tão à flor da pele – nem nas mais arrebatadoras paixões que já senti. É diferente, agora. É a euforia diante de cada dente que nasce e a tristeza a cada birra. A maioria de nós, mães do século XXI, recebe bastante informação quando decide engravidar. Sabemos, portanto, que haverá vacina, febre, cólica, noites insones, sabemos que haverá choro, birra, que haverá leite empedrado e muito mais. Mas quando qualquer uma dessas coisas acontece, a gente sofre. Ô se sofre!

As decisões são suadas, as opiniões alheias são constantes. A insegurança também é companheira, mas a consciência tranquila é quem embala nosso sono – às vezes. Sim, porque a culpa é monstra! Aliás, sobre a culpa… eu já fiz muita coisa errada nessa vida. Já me senti culpada, já sofri, já chorei. Mas NUNCA, vejam bem, NUNCA, a culpa foi tão dolorida. E, pasmem, culpa mesmo com a consciência tranquila. Doido, né? Pois é. A #samiamãe é assim: doidinha varrida.

Por outro lado, o trabalho para que as coisas dêem certo nunca foi tão árduo e eu nunca fui tão aplicada. Sério. Ao final do dia, estou exausta – acho que mais psicologicamente do que fisicamente, se for analisar direitinho. Fato é que essa grande aventura é justamente o que me move. É por isso que acordo diariamente, é por ele que meu coração acelera. Quando saio do trabalho, é aquele sorriso (agora já nem tão desdentado assim) que eu procuro.

Aliás, é uma tarefa difícil não deixar a “mulher” empalidecer e dar lugar somente à “mãe”. Eu não quero deixar de ser eu mesma, não quero deixar meus sonhos, meus prazeres, meus desejos de lado para viver a vida do meu filho. Não quero porque sei que o preço disso é altíssimo – e para TODOS. Faço o exercício constante de me encontrar no meio dessa dinâmica.

Pra frente é que se anda!

Com carinho

Samia-Mãe

Anúncios

Sobre Samia Mãe

Samia, uma mãe com dúvidas e muita, mas muita vontade de acertar. Acredito que conversando sobre as dificuldades, elas se tornam menores e o caminho fica mais leve e divertido.
Esse post foi publicado em Sem categoria e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s